Afinal, qual é o problema? lista para um banheiro desperdício zero parte 2

produtos nocivos
Vamos ler esse rótulo
zero waste
Parabenos???
zero waste
Eu vou morrer de câncer!

Você já tentou ler o rótulo dos ingredientes de produtos de higiene pessoal? Vou reformular a pergunta: Você já tentou entender o rótulo dos ingredientes de higiene pessoal? Escolhi reformular a pergunta, pois tenho certeza  de que todos algum dia já leram rótulos de ingredientes. Mas, ou não conseguimos enxergar, pela letra ridiculamente minúscula ou não entendemos nada, relevamos e compramos mesmo assim. No final das contas, o que nos conquista é a embalagem, o marketing, o rótulo, frases de efeito e o preço. Aqui mora o perigo (lá vem bomba)!

😥 Sobre os produtos:

Antigamente tudo era natural. Mas com o desenvolvimento de substâncias sintéticas (e do capitalismo), as empresas enxergaram uma forma de lucrar mais. Bem resumidamente falando, elas passaram a injetar certas substâncias desnecessárias (muitas consideradas tóxicas e cancerígenas) prometendo maior durabilidade e efeitos milagrosos e diminuíram a quantidade dos elementos realmente essenciais para a finalidade do produto (limpar, hidratar etc).

😡 Sobre as embalagens:

Eram de vidro, madeira e metal, até surgir o plástico. O vidro é um material mais caro de ser produzido, mas ele não é poroso como o plástico e nem tóxico (yes baby, plástico é nocivo para nossa saúde). Os produtos duram mais no vidro, que pode ser 100% reciclado e se transformar em um vidro novo, ao contrário do plástico (odeio muito essa porcaria) que tem um limite de reciclagem, acaba sobrando e poluindo o meio ambiente pra sempre.

👿 Sobre a indústria:

Hahaha Hehehe – é isso que a indústria faz. Ela dá uma risadinha achando graça e depois dá uma risadinha de espertalhona, pois ela lucra muito com essas mudanças. Pensa comigo: você quer ganhar dinheiro no carnaval e escolhe vender caipirinha pra galera. Você pode colocar a cachaça e o suco da fruta numa garrafinha de vidro, vender e receber a garrafa de volta em troca de desconto na próxima compra. Aí você conquista o cliente, que quer o desconto e você não precisa comprar novo estoque de garrafinhas, pois elas retornaram até você. Aí você pensa “Pra que tanto trabalho? Vou pegar um saquinho plástico descartável que é mais barato que o vidro, uma cachaça mais barata, suco artificial mais barato, coloco mais açúcar e vendo pelo mesmo preço da versão anterior”. Já você, que quer só ficar doidão e não está afim de procurar o vendedor na multidão pra devolver a garrafinha, compra mesmo sendo porcaria. HAHAHA HEHEHE pro produtor, poluição no mundo, um bando de porcaria dentro de você e dinheiro jogado fora.

😉 Sobre as alternativas:

Produtos naturais de pequenos produtores ou faça você mesmo. Poluem bem menos ou não poluem durante a produção, contém somente o essencial e nada sintético ou tóxico, você consegue muitas vezes sem a embalagem e têm 100% da funcionalidade do produto (por exemplo hidratante que realmente hidrata).

Chega de papo e vamos à lista Parte 2 (yeeeeaaaaaahhhhh)

shampoo natural em barra e sabonete natural

shampoo em barra desperdício zero    sabonete natural desperdício zero

Shampoo serve pra limpar o cabelo, mas esquecemos de um detalhe: o couro cabeludo é pele. Se você lava demais sua pele, ela resseca. Se você hidrata demais, fica oleosa e isso resulta na aparência do cabelo. Os shampoos tradicionais fazem aquela espuma toda, pois contém substâncias extremamente fortes, pra dar sensação de limpeza e perfumar. Mas você não precisa de tudo isso, só precisa do essencial. De acordo com a Fefa Pimenta, produtora de produtos artesanais/naturais para higiene e cuidados pessoais do Rio de Janeiro link, tanto no sabonete quanto no shampoo, o essencial são as manteigas e óleos essenciais passados pelo processo de saponificação (o que transforma tudo isso no sabonete e deixa ele durinho em barra). O que diferencia o shampoo do sabonete é a formulação dos óleos que, juntos, potencializam um determinado efeito. Ou seja, para cabelos cacheados é melhor uma determinada combinação de ingredientes e para cabelos tingidos outra. Mas essa mesma barra, pode ser utilizada no corpo também. Eu uso sabão de castela 100% azeite de oliva da Sementes de Gaia link para cabelo e pele – Sim, meu cabelo era tingido e mais comprido e eu já usava o sabão de castela.

Entrei no site da EWG Cosmetic Database (site babadoooooo, onde você pode analisar um produto pelos ingredientes, saber exatamente os efeitos de cada um etc) e analisei o que eu usava antes. O site dá uma nota de 1 à 10 em escala de riscos à saúde (1-2 perigo baixo e 7-10 perigo alto).

Análise ewg: Pantene Pro-V cabelos tingidos MÉDIA 5 e com risco baixo de câncer link

Saldo: Sabonete e shampoo em barra natural biodegradáveis, que não poluem na produção, rendem mais e comprados sem embalagem para descartar (YES!)

condicionador

Eu não uso condicionador há muito tempo (usava um da Pantene por causa da Gisele Büdchen – momento confissão). Como não testei nenhum produto (meu cabelo está muito curto), optei por não colocar foto. Sobre o condicionador: Não adianta muito utilizar um shampoo natural e condicionador artificial. Lembra daqueles conselhos de cabeleireiro – não passar no couro cabeludo, tirar tudo no enxágüe… e que fazemos sempre o contrário? Esses produtos contém substâncias que formam uma capa nos fios. O que parece hidratar, na verdade só está grudando, deixando os fios pesados e o couro cabeludo oleoso. O sabonete natural, não vai conseguir tirar isso. Só detergente tira graxa e no seu shampoo há os mesmos itens do detergente da cozinha (hahaha hehehe lembram?). Existem marcas 100% naturais como a Sal da Terra link, embora as embalagens sejam de plástico reciclável. Também há opções caseiras com ingredientes naturais como vinagres e chás. Antes de começar a careta feia, abra a cabeça e lembre-se do que falamos lá em cima. Para finalizar, basta passar um pouquinho (beeeem pouquinho) de óleos vegetais nas pontas. Eu conheço algumas pessoas que usam a técnica do vinagre e todas amam.

Análise ewg: Pantene Pro-V condicionador MÉDIA 5 e com risco baixo de câncer link

Saldo: óleo de coco orgânico, biodegradável, comprado em pote de vidro reutilizado para armazenar comida.

esfoliante natural

    esfoliante natural desperdício zero

Antes eu usava um esfoliante com micro esferas (aquelas bolinhas coloridas que prometem um monte de coisas). Sabia que as bolinhas são de plástico? E plástico hidrata ou nutre a pele? Simplesmente com a quantidade de plástico sobrando, a galera do hahaha hehehe resolveu reutilizar nos esfoliantes. Elas podem até ajudar no efeito – limpar superficialmente os cravos -, mas são tão pequenas (e não biodegradáveis) que passam direto pelo filtro dos esgotos e vão para o mar (o crime não compensa). O problema é tão sério, que alguns países estão proibindo o uso dessas microesferas nos cosméticos link. Sejamos mais inteligentes e mais práticos. Pó de café (rico em vitaminas maravilhosas)! Você faz o café e separa o pó em um prato até secar. Depois armazena em um pote com tampa (se não estiver bem seco, vai mofar). Pra quem não gosta de café pode utilizar açúcar, aveia ou outros ingredientes naturais que tenham ação esfoliante.

Análise: Nivea gel esfoliante facial MÉDIA  5, com risco baixo de câncer e alto potencial alérgico e de imunotoxicidade link

Saldo: utilização de ingredientes biodegradáveis, comprados a granel em sacos de pano e sem embalagem.

pasta de dente natural

    pasta de dente natural

Antes de lerem sobre as opções naturais de pasta de dente, vejam esse vídeo link. É uma entrevista com a Dra. Karla Dias, explicando exatamente o que é a carie dentária, pra que serve o flúor, o que as pastas de dente industrializadas contém etc (o importante é a escovação, não acreditem naquela espuma toda que se forma!). Sobre a pasta industrializada, assim como os produtos já mencionados acima, está cheia de químicos tóxicos. Mesmo que você utilize rapidinho, imagine ao longo de muitos anos?! Existem pastas industrializadas naturais como a da Orgânico Natural link, mas a embalagem é de plástico (reciclável) e estou aqui para falar de MENOS LIXO! Que tal utilizar essa como transição para a feita em casa? Uma vez feita a transição, pode experimentar receitas naturais. A maioria leve óleo de coco, cúrcuma, canela, xilitol e essência de hortelã pelas suas propriedades. A minha é de óleo de coco (antiviral, antifúngica e propriedades antibacterianas) e cúrcuma (anti-séptico, antibacteriano e anti-inflamatório), mas pode fazer sem o óleo. Eu ralo a cúrcuma orgânica e misturo com um pouco de óleo de coco. Faço isso uma vez por semana. Para a versão em pó, você escolhe as proporções (mais pastosa – 1 colher de sopa de óleo de coco orgânico para 2 cheias de cúrcuma em pó orgânica). obs: Meus dentes clarearam e sempre ficam lisinhos no final.

Análise: Colgate total clean mint MÉDIA 5, com alto potencial alérgico e de imunotoxicidade link

Saldo: utilização de ingredientes biodegradáveis, comprados sem embalagem em feiras e o mesmo óleo de coco do condicionador

fio dental

    img_5437

E aí, fez muita careta até agora? Não viu nada! Sabe do que é feito o fio dental? Naylon, ceras e derivados de plástico. Esse fiozinho polui muito, pois várias pessoas descartam no vaso sanitário (não façam isso!) e, assim como as micro esferas, acaba indo pro mar, resultando em poluição e  sendo engolidos ou decepando membros dos animais marinhos (tipo tartaruga sem pata, cavalo marinho sem cabeça e peixes que morrem com isso no estômago). Não é biodegradável e nem todos os lugares reciclam. Existem opções biodegradáveis na gringa. São de fio de seda com cera de abelha e podem ser compostadas. Esta opção não é vegana, mas pode ser orgânica e impede maiores males. Eu optaria por ela, se fosse vendida no Brasil. Como não é, procurei me informar com alguns dentistas. Todos foram unânimes em me dizer que o importante é passar alguma coisa entre os dentes para tirar o resto de comida. Falei sobre a linha de costura e ninguém foi contra. Só me pediram cuidado, para não cortar minha gengiva, por ser muito fino. Funciona maravilhosamente bem. Peguei um carretel de linha de algodão (não pode ser sintético, né? dãr!!) e já achei opções que vem em carreteis de papel. O ideal seria linha orgânica, mas ainda não achei. Às vezes arrebenta, mas não é o fim do mundo. Depois eu coloco na composteira e um lixo a menos e dentes tão limpos quanto.

Análise: Fio dental Johnson whitening. O site não identificou alguns ingredientes e não achei correspondentes de fontes confiáveis. Não analisei para não comprometer a nota do produto.

Saldo: comprado sem embalagem, em carretel de papal e ambos são compostáveis.

enxagüe bucal natural

     enxagüe bucal natural

Essa receita é da Waste Land Rebel, outra blogger do movimento Zero Waste na Alemanha link. Leva óleo essencial de hortelã (analgésico e bactericida), o que deixa uma sensação de frescor bem agradável, pra quem vai reclamar da cúrcuma (humpf!), água, bicarbonato de sódio (antifúngico e neutralizador de acidez), e óleo essencial de Tea Tree (expectoraste, fungicida, bactericida, entre outros). Ferver 250 ml de água e colocar num pote de vidro esterilizado, esperar esfriar em temperatura ambiente, adicionar 1 colher de chá de bicarbonato de sódio, 5 gotas de cada óleo essencial e mexer bem. Mais barato que enxágüe bucal cheio de corante, sem poluir o meio ambiente, sem poluir seu organismo, precisa falar mais?

Análise: Listerine soft mint zero açúcar MÉDIA 4, contém Thymol que é toxico quando ingerido link

Saldo: utilização de ingredientes biodegradáveis, comprados a granel em sacos de pano e em pequenos recipientes de vidro 100% reciclável. Redução do consumo de plástico (tampa dos vidrinhos).

desodorante natural

    desodorante natural

Quem ainda não leu sobre pesquisas acerca do uso de desodorantes/antitranspirantes está realmente por fora. Aconselho seriamente pesquisar.  Algumas empresas já retiraram certos metais pesados de suas fórmulas, mas outros não. Além de estudos relacionados ao câncer, foliculite é uma consequência muito comum (aquelas bolinhas péssimas, inflamadas e com pus). Além disso tudo, a embalagem aerossol é um grande poluidor, não pode ser nem reciclada e se exposta ao sol, vai explodir! E essa história de não suar? Galera, estamos em 2016! Vocês realmente ainda acreditam que um sprayzinho desse vai te impedir de transpirar? Outra coisa, se o suor não sair pela axila, terá que sair por outro lugar (pé, mão, costas, virilha, cabeça, xixi etc). Vamos falar sério? O que importa realmente é não feder, logo a ação deve ser nas bactérias do local. Existem várias receitas a base de bicarbonato de sódio, óleos essenciais, cristais etc. Eu utilizo o leite de Magnésia. Passo puro mesmo e aguenta power yoga, corrida no calor, estresse e tudo mais. Minha axila não fica esbranquiçada e nem ressecada, não mancha a roupa e o preço é bem em conta. Aí você fala “Mas Karin, você não odeia plástico?”. Sim, odeio. Tentei versões caseiras, mas ainda não achei uma que não me cause alergia. É importante lembrar que devemos respeitar nosso corpo durante esses processos de transição. Assim como alguns shampoos naturais não vão servir pra uns, desodorantes não vão servir para ouros. O importante é manter o esforço na diminuição de químicos tóxicos e lixo desnecessário. Alguma receita será compatível.

Análise: Desculpe gente, mas nem me dei ao trabalho. Rexona contém no rótulo legível alumínio, BHT, parabenos… e não existe antitranspirante (olha o hahaha hehehe)!

Saldo: utilização de ingrediente biodegradável, que possivelmente poluiu ao ser produzido e embalagem de plástico reciclável.

demaquilante

    

Faz muito tempo que não uso demaquilante. Desde que comecei a usar sabão de castela, eu primeiro lavo o rosto com o sabonete (que já tem óleo e tira grande parte da maquiagem) e depois eu uso óleo de coco ou azeite. Pra finalizar, passo um pano umedecido com água morna ou os discos de crochê que mostrei no post passado. Você já reparou que os demaquilantes e lenços umedecidos deixam a pele levemente brilhosa e oleosa? Então, é isso que importa pra retirar a maquiagem. Os outros ingredientes são um bando de hahaha hehehe pra deixarem os produtos mais atrativos e ganharem na concorrência. Por exemplo, esse produto da Nivea tem na formulação Helianthus Annuus Seed Oil, nada mais nada menos que óleo de girassol (Tchan!). Parece esquisito passar óleo no rosto, soa como se fosse deixar a pele oleosa. No entanto o natural da pele é produzir óleo. Se você utiliza sabonete, demaquilante e adstringente que contém álcool, sua pele precisa produzir mais óleo para repor, podendo criar uma oleosidade em excesso. Acho que essa opção foi a que menos promoveu caretas, ou não?

Análise: Demaquilante bifásico Nivea MÉDIA 2, com conservantes e colorantes de média 4 link

Saldo: o mesmo do condicionador

hidratantes naturais

     hidratante natural

Assim como grande parte das pessoas, eu escolhia os cremes pela marca, pelo cheiro e pelo preço. Depois que passei a pesquisar sobre os ingredientes, não consegui comprar mais nenhum hidratante de grandes marcas. É substância com nome esquisito demais e eficiência sincera de menos. Pesquisei sobre as manteigas e óleos vegetais e essenciais. Por fim, descobri que é somente isso que o corpo precisa (o corpo todo e não um creme para cada parte do corpo). É muito fácil de fazer. Essa é uma versão super mega hidratante pro inverno e está durando até hoje (rende mto!). Reutilizei o pote da Granado e precisei de mais dois potes extra. Comprei os ingredientes pela internet, pois não achei tudo em lojas físicas e nem a granel ainda. Não é o ideal, pela emissão de carbono dos correios. Mas pedi para a marca não me enviar nada em plástico, além do já necessário e super me atenderam. Nessa versão utilizei 100g de manteiga de Karite (hidratante e filtro solar natural), 100g de manteiga de cacau (estimula produção de colágeno, emoliente e antioxidante), 100g de óleo de coco (além da hidratação, funciona como conservante) e 15 ml de óleo essencial de grapefruit (prevenção de celulite). Derreter tudo em banho maria e colocar na geladeira até endurecer. Depois bater com a batedeira até virar chantilly mesmo. Não pode esquecer de esterilizar os potes antes de armazenar. Para lugares muito quentes, eu não indico utilizar essa quantidade toda de cacau e nem de óleo de coco, por derreterem em altas temperaturas.

Análise: Manteiga Corporal Castanha do Brasil Granado MÉDIA 5,  com um bando de porcaria desnecessária dentro (pronto falei!) link

Saldo: ingredientes biodegradáveis, comprados em embalagens de plástico reciclável e vidro e emissão de carbono pelo correio

esmalte e removedor

    

Nessa minha jornada Desperdício Zero, posso dizer que somente abri mão de esmalte. Foi uma decisão bem consciente, após ter pesquisado muito sobre os ingredientes. Unhas pintadas são bonitas, mas não gosto da ideia de considerar minha mão feia ou me achar menos feminina, só porque não uso esmalte. Assim como o filtro solar, é muito difícil de ter um produto caseiro ou natural. No exterior há versões orgânicas e menos tóxicas, mas não pesquisei a fundo essas marcas, pois aqui no Brasil existem as versões da marca Surya link. São esmaltes com embalagem bem mais ecologicamente correta. A tampa é de bambu (compostável) por exemplo. Além disso, eles têm um removedor próprio bem menos tóxico que os convencionais. Eu entrei em contato com a Colorama, Risqué e Granado. Nenhuma tem programa de reciclagem das embalagens (que feio!). No entanto, a Quem Disse Berenice recolhe as embalagens de todos os produtos da marca e a cada cinco itens devolvidos, você ganha um batom. Ou seja, tem empresas que fazem sua parte. Por isso que eu insisto na tecla do consumo consciente. Informe-se sobre as opções para achar possibilidades de gerar menos lixo e de se intoxicar menos (ou não se intoxicar)!

Análise: IMPOSSÍVEL DE LER colorama e risqué e eles não disponibilizam os ingredientes no site. Analisei a cor Edith da Granado MÉDIA 4, com risco baixo de câncer e potencial alérgico e de imunotoxicidade link

Saldo: não utilizo mais

protetor solar

    

Esse é o produto mais controverso para mim, pois é muito difícil (quase impossível) de se ter versões naturais ou caseiras. Além disso, as marcas são constantemente testadas e volta e meia são reprovadas em algum quesito. Ou seja, você pode comprar uma versão boa e a empresa lança uma outra que é reprovada. No exterior já se encontra versões orgânicas e menos tóxicas. Eu uso filtro no rosto, pescoço e colo todos os dias. Na praia fico debaixo da barraca. Além disso,  eu uso chapéu e blusas ou quimonos de algodão para cobrir os braços e ombros ao andar na rua durante o verão. As pessoas adoram fazer comentários sem graça (dizem que sou gringa, que deveria morar no sul etc) mas eu não ligo. Eu moro no Rio de Janeiro, o verão é massacrante e eu prefiro me prevenir do que ficar que nem maracujá de xepa ou pegar câncer de pele. Eu uso essa marca, pois não contém fragrância, nem colorante, nem parabenos e a embalagem é reciclável. Mas confesso que estou a procura de alternativas melhores.

Análise: pesquisei bastante em sites de análise e todos dessa versão para rosto, entre os fatores 30 e 50 tiveram média 2 e 3 link, mas a ANVISA reprovou algumas, por não cumprirem o nível de proteção UV prometido.

Saldo: utilização de produto que possivelmente poluiu ao ser produzido e embalagem de plástico reciclável.

SALDO TOTAL: 2 embalagens e 2 tampinhas de plástico reciclável, zero desperdício e nada pra jogar no lixo

😱 Depois de tudo isso, CALMA! Não vai sair por aí neurótico analisando todos os produtos da sua casa e jogando tudo fora. Depois desses dois posts sobre banheiro desperdício zero, que tal analisar o seu banheiro? Que tal prestar atenção no que você desperdiça ou quais produtos tem em excesso? Melhor ainda, procurar por marcas que se preocupam com o recolhimento das suas embalagens e repensar opções sem embalagem que geram menos lixo no seu corpo e no meio ambiente. Um passo ou um item de cada vez 😉

No próximo post vamos falar de quarto, um cômodo com muito potencial para acumular e desperdiçar.

——————————————————

Nota sobre a EWG: Importante ressaltar que nem sempre essas análises são precisas e que cada país tem uma legislação para aprovar substâncias em produtos. O mais legal desse site, é poder entender para que serve a substância, quais pesquisas existem sobre ela e os fatores de risco.

Vale lembrar: O produto em si é aprovado com níveis aceitáveis de determinados químicos. O problema é o uso prolongado e excessivo de tudo isso.

Links Mega úteis

Foto 2 sabonete green seed da Terra Brasil Saboaria link

Blogs e artigos (tem que ler!)

Lookaholic – sobre parabenos link, ingredientes tóxicos parte 1 link e parte 2 link

Clube do cabelo e Cia – tudo que você precisa saber e consultar sobre cuidados naturais link

Blog da Fefa Piementa – link 

Sabores com saberes – sobre o condicionador de vinagre e chás link

Livro incrível

Skin Cleanse, de Anna Grigore (TEM QUE LER!) link

Para consultar

EWG skin database link

Truth in Aging link

Talvez você também goste

6 Comentários

  1. Oii Karin, estou simplesmente AMANDOO seu blog e suas dicas!!! Sou vegana, e isso já é algo extremamente significativo para os animaizinhos e para o planeta mas sempre me incomodei com o lixo que eu gerava com embalagens e utensílios plásticos que utilizava, e seus posts têm me ajudado muitoo!!! Você já ouviu falar do dr. Lair Ribeiro? Ele indica o uso de óleo de coco orgânico e extravirgem como protetor solar, explica que nunca devemos utilizar um protetor solar que possua proteção UVB pois esse é essencial para que o nosso organismo produza vitamina D. Os raios nocivos às nossas células (que causam envelhecimento celular e câncer) são os raios UVA e o óleo de coco nos protege deles. Depois pesquisa um pouquinho sobre isso, têm vídeos no youtube com palestras desse médico falando sobre e artigos científicos comprovando isso (o mais importante né). Beijos😘

  2. Acho que muita gente joga fora o sabonete quando ele fica meio pequeno.
    Eu não uso. Então eu junto com outros pedaços e aproveito mais por exemplo na pia.
    Se tivesse um tipo de prensa que desse para colocar o resto de sabonete seria legal e econômico. Alguma prendinha a gente colocação o finzinho do sabonete e girava uma rosca que apertados o restos até formar um novo sabonete.Wie tal?

    1. Oi Paulo. Tem razão! Mas dá pra derreter os pedacinhos e fazer uma versão líquida. Ou até refazer uma barra maior com vários restinhos. Tem bastante vídeo na internet que ensina 😉

  3. Oi Karin! Sou “semi-vegana” e estou no começo de uma transição para o zero waste e veganismo. Voce está me ajundando demais! Muito obrigada! Karin, o que voce acha da ténica water only? Voce muito provavelmente conhece, mas é basicamente lavar o cabelo apenas com água. Me interesssei bastante e estou pensando e tentar. O que voce acha?
    Bj!

    1. OI! Acho ótimo. Eu lavo o cabelo só com água e uso o shampoo sólido quando julgo necessário. Por exemplo quando uso óleos para hidratação, eles vão acumulando e depois de um tempo prefiro usar o shampoo. Ou quando vou a praia e fica água salgada tbm. Tem que ir sentindo né… 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *