Ué, quarto gera lixo? Parte 3

7:30 am – Qual cor eu uso hoje?
8 am – tantas opções…
8:30 am – tic tac tica tac

 

Ritual matinal:

O despertador toca, mas ainda estou num sono profundo, relaxada e ignoro aquele barulho  irritante. Então vem a vontade de ir ao banheiro e eu penso “Que saco, tenho que levantar!”. Continuo na cama “Só mais 5 min, por favor!”. O despertador extrategicamente posicionado perto da porta e bem longe de mim continua tocando e eu… continuo ignorando. A minha bexiga aperta e uma imagem da minha cama toda suja de xixi me estimula a realmente sair da horizontal para a vertical. Desligo o despertador, caminho lentamente (tipo zumbi) até o banheiro e relaxo ao som de xiiiiiiiiiiii. Eu não quero lavar a mão, pois sei que há um espelho acima da pia e não quero me ver. Sinto meu rosto inchado, sei que não está legal… mas a ideia de não lavar a mão me faz lembrar minha mãe me perguntando “Lavou a mão, filha?”. Eu abro os olhos “Meu Deus! Horror!”. Preciso me arrumar e sair “Horror, horror”… escolho uma roupa “Menos horror”, hidrato a pele e passo blush, rímel e delineador “Tô gata!”.

A maquiagem realmente me faz sentir mais bonita. O que me incomoda é o fato de eu me sentir melhor de maquiagem do que sem. Me incomoda uma mão sem esmalte ser considerada menos bonita do que uma com esmalte e mega me incomoda muito eu ser considerada menos feminina ou como alguém que não se cuida, por não fazer uso de cosméticos.  Falando sério, qual homem é enfaticamente criticado por “não se cuidar”? Ele pode ter o cabelo que quiser, vestir o que quiser e vida que segue. Sem discurso feminista aqui, fiquem calmos (parece que hoje em dia, qualquer reivindicação feminina não é levada a sério e é considerada mimimi).  É só que a pressão da indústria da beleza sobre a mulher é massacrante. Olhem esse vídeo – The ugly truth behind beauty magazines link como um dos simples exemplos. O vídeo fala sobre o real conteúdo de uma revista feminina x quantidade de propaganda. Ou seja, ao invés de passar conteúdo, a leitora é bombardeada com imagens de roupas, maquiagens, pele/cabelo perfeitos. Quem aqui nunca viu uma foto dessas e pensou “Ai, quero muito essa base” ou ficou SUPER mal ao experimentar uma calça que não coube, ao invés de simplesmente pegar uma de tamanho maior ou outra modelagem? Chato, gente! Bem chato!

Mais chato ainda é um bando de empresa colocar um bando de coisa tóxica nesses produtos, poluir pra caramba e nem dar a opção de retornar as embalagens. O QUE EU VOU FAZER COM AQUELE TUBO DE RÍMEL VAZIO????? 

Continue Reading

Afinal, qual é o problema? lista para um banheiro desperdício zero parte 2

produtos nocivos
Vamos ler esse rótulo
zero waste
Parabenos???
zero waste
Eu vou morrer de câncer!

Você já tentou ler o rótulo dos ingredientes de produtos de higiene pessoal? Vou reformular a pergunta: Você já tentou entender o rótulo dos ingredientes de higiene pessoal? Escolhi reformular a pergunta, pois tenho certeza  de que todos algum dia já leram rótulos de ingredientes. Mas, ou não conseguimos enxergar, pela letra ridiculamente minúscula ou não entendemos nada, relevamos e compramos mesmo assim. No final das contas, o que nos conquista é a embalagem, o marketing, o rótulo, frases de efeito e o preço. Aqui mora o perigo (lá vem bomba)!

😥 Sobre os produtos:

Antigamente tudo era natural. Mas com o desenvolvimento de substâncias sintéticas (e do capitalismo), as empresas enxergaram uma forma de lucrar mais. Bem resumidamente falando, elas passaram a injetar certas substâncias desnecessárias (muitas consideradas tóxicas e cancerígenas) prometendo maior durabilidade e efeitos milagrosos e diminuíram a quantidade dos elementos realmente essenciais para a finalidade do produto (limpar, hidratar etc).

😡 Sobre as embalagens:

Eram de vidro, madeira e metal, até surgir o plástico. O vidro é um material mais caro de ser produzido, mas ele não é poroso como o plástico e nem tóxico (yes baby, plástico é nocivo para nossa saúde). Os produtos duram mais no vidro, que pode ser 100% reciclado e se transformar em um vidro novo, ao contrário do plástico (odeio muito essa porcaria) que tem um limite de reciclagem, acaba sobrando e poluindo o meio ambiente pra sempre.

👿 Sobre a indústria:

Hahaha Hehehe – é isso que a indústria faz. Ela dá uma risadinha achando graça e depois dá uma risadinha de espertalhona, pois ela lucra muito com essas mudanças. Pensa comigo: você quer ganhar dinheiro no carnaval e escolhe vender caipirinha pra galera. Você pode colocar a cachaça e o suco da fruta numa garrafinha de vidro, vender e receber a garrafa de volta em troca de desconto na próxima compra. Aí você conquista o cliente, que quer o desconto e você não precisa comprar novo estoque de garrafinhas, pois elas retornaram até você. Aí você pensa “Pra que tanto trabalho? Vou pegar um saquinho plástico descartável que é mais barato que o vidro, uma cachaça mais barata, suco artificial mais barato, coloco mais açúcar e vendo pelo mesmo preço da versão anterior”. Já você, que quer só ficar doidão e não está afim de procurar o vendedor na multidão pra devolver a garrafinha, compra mesmo sendo porcaria. HAHAHA HEHEHE pro produtor, poluição no mundo, um bando de porcaria dentro de você e dinheiro jogado fora.

😉 Sobre as alternativas:

Produtos naturais de pequenos produtores ou faça você mesmo. Poluem bem menos ou não poluem durante a produção, contém somente o essencial e nada sintético ou tóxico, você consegue muitas vezes sem a embalagem e têm 100% da funcionalidade do produto (por exemplo hidratante que realmente hidrata).

Chega de papo e vamos à lista Parte 2 (yeeeeaaaaaahhhhh)

Continue Reading