Corredor e sua capacidade de acumular

Que coisa enorme!
Está melhorando…
LOVE

Corredor não é exatamente um cômodo. É mais considerado como uma passagem da sala para os quartos e uma boa oportunidade de aproveitamento de espaço para armários e estantes. Fato é que, quando não queremos lidar exatamente com alguma bagunça num determinado momento, guardamos (ou escondemos) nesses armários e estantes –  “Depois eu arrumo”. Então acumulamos várias coisas e, na limpa de final de ano, não sabemos o que fazer com aquilo tudo a não ser: LIXO

O perigo do acúmulo é justamente esse. Quanto mais acumulamos, maior a probabilidade de tudo ser jogado fora e acho que vocês já entenderam por aqui que lixo é sinônimo de lixão que é sinônimo de poluição!

Nos dias de hoje, temos grandes aliados no combate ao acúmulo como a tecnologia. Mas o que tem se mostrado mais eficiente nessa saga contra o lixo é o mantra recusar-reduzir-reutilizar (já falei dele no Post sobre quarto parte 1 link). Então vou mostrar para vocês como eu fiz para otimizar meus armários, acabar de vez com o acúmulo e não desperdiçar meus neurônios me estressando com essa bagunça todo ano!

LIVROS

Ao longo dos anos e da minha carreira de atriz e produtora cultural, criei uma biblioteca de livros de estudo e textos de teatro, fora os livros romance, fora os livros que guardei da minha infância (mais por insistência da minha mãe), fora os livros antiguérrimos e preciosos que herdei da minha vó. Eu achava lindo expor tudo numa estante da minha sala, mas detestava o acúmulo de poeira. (SOCORRO!!! muita poeira, fora as traças e até cupim). Quando aderi ao Desperdício Zero (zero waste), percebi que todo o orgulho dos meus livros havia se tornado um grande desperdício de conhecimento. Eu não relia os livros o tempo todo e ficava tudo acumulando poeira em vão. Afinal, qual é a finalidade de um livro? Entreter, passar conhecimento e informação? Bom, nenhum dos meus estava cumprindo esse papel, uma vez que estavam somente guardados… A propósito, vocês sabem como os livros são produzidos e o quanto que poluem durante o processo? Assistam a esse vídeo super explicativo do Manual do Mundo link . Agora, reparem na quantidade de chapa de alumínio e tinta, fora o papel (sem falar da energia). A questão é que para se produzir esses materiais, ocorre MUITA poluição. Só que eu era uma daquelas pessoas que falava”Não consigo ler em tablet, preciso do papel”, até que eu resolvi dar uma chance e venci totalmente meu preconceito com livros digitais. É uma maravilha!!! Posso mudar a cor da tela, aumentar a fonte, marcar no estilo marca texto, criar anotações, clicar na palavra e procurar diretamente a tradução, agrupar os livros por temas e até ler prévias. Detalhe, eu uso app no meu próprio tablet, pois não queria mais um aparelho eletrônico. Mas o que fazer com tudo aquilo acumulado na estante? Palavra mágica REDUZIR. Selecionei entre “sim, vou morrer sem esse livro”e “posso viver sem esse livro”.

SOLUÇÃO: tecnologia + reduzir. Baixar app no tablet e comprar livros digitais ou em sebos (se forem muito antigos), os textos avulsos eu passei pra PDF e coloquei tudo no HD externo, mantive os livros antigos da minha vó e entrei em contato com uma profissional que é restauradora, fiz um álbum de doação no facebook e doei todos os livros (acompanhados de bilhetes explicando que livros não são lixo), propus grupos de compartilhamento de livros entre amigos e guardei os remanescentes no armário com potinhos de bicarbonato de sódio pra evitar umidade e traças.

FITA VHS

 

Eu tive todas as fitas da Disney até os 101 Dalmatas! Também tive do Tim Tim, Lucky Luke, fora gravações de eventos em família, especiais do Elvis e programas de culinária gravados pela minha mãe (mega fã do Elvis). Serei eternamente grata aos inventores da fita VHS pois, sem ela eu e muitas pessoas não teríamos recordações de infância. Porém/Mas/Contudo/Todavia/Entretanto, Ô TRAMBOLHO!!! Aqui, mais uma vez a tecnologia é uma grande aliada. Ela reduziu uma fita cheia de metais pesados, em um CD não reciclável, até chegar em pen drive reutilizável e memória de HD externo. OBRIGADA aos nerds mais queridos que se trancafiaram em seus laboratórios e criaram tudo isso (love you)! No caso da VHS, a parte de plástico é reciclável. De acordo com a empresa Green Disk (recicagem de eletrônicos americana) a fita interior também poderia ser reciclada, só que ela contém metais pesados que, para a indústria, não têm muito valor e por isso, ninguém se interessa (vejam esse link super completo sobre o problema). A questão é, o que para um comprador pode não valer a pena, para o mundo pode sair muito caro! Se ninguém se interessar em reciclar essas fitas, vão todas derreter com o tempo (em lixões e aterros sanitários) e os metais passarão para os lençóis freáticos, poluindo a água que (pasmem!) NÓS consumimos!!! Muitas pessoas as utilizam como material de crochê. É só tomar cuidado para não entrar em contato com a boca e nem com fogo (para visualizar as fotos, clique no título de cada modelo link).

SOLUÇÃO: tecnologia + mantra! Reduzir a quantidade de fitas (que mofam e acumulam poeira). Procurei um profissional que passa VHS para DVD para eu não perder as gravações da minha infância. As fitas da Disney, vou doar para instituições infantis, as comuns vou doar para designers que utilizam para fazer móveis com a parte plástica (tem uns lindos) e no caso da fita interna?! Dilema! Poderia retirar e encomendar ecobags de crochê (com forro de tecido), ou descartar em estabelecimentos especializados. Mas eu sei que assim, elas vão parar em aterros sanitários. Ainda não decidi, mas prometo contar pra vocês!

PAPEL, DOCUMENTOS E CONTAS

Papeis reciclados lindos da Shöpf Papier.

Quanto papel! Quanto papel! Quanto papel! Definitivamente, papel é algo a ser repensado. A produção do papel pode ser infinitamente mais sustentável e menos prejudicial ao meio-ambiente. Olhem esse vídeo do Manual do Mundo sobre como o papel é feito link. Reparem quantas vezes a água é utilizada e questionem-se sobre o que é adicionado a ela e pra onde ela vai depois! Detalhe muito importante quando ele fala do DIÓXIDO DE CLORO. É um troço tão diabólico que todos os trabalhadores são obrigados a andar com uma máscara de fuga, no caso de vazamento desse gás. Agora eu pergunto, precisa disso tudo? Se vazar o gás, o que acontece com os moradores em volta das fábricas que não têm a máscara de fuga? E pra onde vai toda essa água que recebeu aditivos químicos? Aí nós rabiscamos o papel e jogamos fora em 5 min, depois compramos uma resma nova sem termos a noção de tudo que isso envolve. Um papel branquinho nunca mais voltará a ser branquinho e lisinho. Ele vira papelão. Ou seja, se continuarmos a estimular o consumo desse item, a indústria nunca vai mudar. CHEGA DE PAPEL!!!!

SOLUÇÃO: tecnologia + mantra (oooohhhhmmmm). Fiz PDF de tudo super importante e adotei de vez o Tablet! Sim, eu aprendi a usar tablet e celular pra tudo! Aplicativos e até acessórios de caneta são super eficientes.

RECUSAR – liguei para todas as empresas e fui atrás de contas e revistas digitais. Também recuso cartões de visita, flyers, propagandas etc. (tiro fotos e adiciono o contato no google agenda). Tudo que tenho que receber, peço em PDF (foi criado um PDF antes de ser impresso, dãr!!!), ou também tiro foto e devolvo.

REUTILIZAR – separei todas as folhas de papel (usadas de um lado só) para fazer cadernos, álbuns de fotos, agendas e caso precise verdadeiramente utilizar papel.

REDUZIR – separei as folhas que já estavam escritas frente e verso, assim como contas antigas e levei para a Shöpf Papier link. Eles têm um trabalho lindo (produtos lindos também!) de reciclagem de papel que emprega pessoas da comunidade Tabajaras no Rio. Troquei por desconto em papel reciclado que inclusive funciona na impressora de tinta normal.

FOTOS

Eu amava a She -Ra! Girl Power desde pequena rs

Fotografia é uma coisa muito louca, né? Como foram inventar um objeto que captura um momento de vida e passa para o papel? Graças a isso, hoje temos filmagens e até 3D! Aqui, mais uma vez, a tecnologia nos fazendo um grande favor de evoluir uma técnica e reduzir nosso lixo. Lembro-me perfeitamente da excitação de ir a uma loja Kodak buscar o resultado da viagem e da decepção do filme queimado, ou das fotos tremidas reveladas em vão e indo para o lixo. Fora todas as fotografias dos ex namorados rasgadas em momentos de fúria, também no lixo. O problema é que fotografia não é reciclável, assim como vários outros tipos de papel link. Aqui, o empecilho está na técnica de impressão. As fotografias reveladas no estilo mais tradicional levam muita química e de uma forma que não se consegue separar do papel. Já as que são impressas (por impressora mesmo) podem ser recicladas. Mas/Porém/Contudo/Todavia/Entretanto, as técnicas de impressão evoluíram tanto, que muitas vezes não conseguimos distinguir qual é qual. Vejam essas explicações do site Earth 911 link (esse site é muito bom!). Fato é que eu tenho uma mala gigante com muitas fotos e o que fazer?

SOLUÇÃO: tecnologia + reduzir + reutilizar. A partir de agora só revelo fotos que eu realmente colocarei em porta-retratos e organizo tudo em álbuns virtuais (desapega do papel galera!). Para as fotografias antigas, farei álbuns divididos por temas, utilizando papel reciclado e cola caseira. Também farei um álbum do recalque, com fotos de pessoas que não fazem mais parte da minha vida. Tudo bem rabiscado e cheio de palavrões pra desabafar sempre que necessário. Afinal, o meio ambiente não merece ser poluído com essas fotografias e queimar libera tóxicos ruins no ar. Vai ser uma maravilha, já estou me vendo bem calma e serena (huahauhauha)!

 

DE TUDO UM POUCO

Olha o mantra!

Nos meus armários ainda tinha um monte de tranqueira. Muitos enfeites de natal e páscoa (tudo da minha mãe), um monte de coisas que eu guardei e nem sabia que havia guardado “Ah, isso estava aqui!”, objetos duplicados, lembrancinhas de festas e de eventos, pequenos presentes de aniversário (daqueles fofos, mas muito inúteis que a pessoa comprou só pra constar…). Tudo com muito potencial de ser desperdiçado e virar lixo.

SOLUÇÃO: desapegar + mantra . Repitam comigo “eu não preciso de tranqueira e de um monte de mini objetos que não servem pra nada”. Avisem para os amigos sobre seu novo estilo de vida e peçam, gentilmente, que considerem presentear momentos como jantares, idas ao cinema, barzinho, pagar uma bebida, jogo no Maracanã ou até lavar a louça da festa (please, ofereçam lavar a louça nas minhas festas!).  Devolvi mais da metade dos enfeites de natal e páscoa pra minha mãe e me propus a organizar um bazar beneficente, caso ela queira se desfazer. Doei tudo aquilo que não era essencial e separei os remanescentes em caixas organizadas por temas, para facilitar no dia a dia.

Que alívio ter diminuido todo aquele papal na minha vida! Que coisa boa saber que outras pessoas estão se divertindo e aprendendo com meus livros. Que maravilha diminuir a quantidade de acumuladores de poeira na minha casa. Me sinto tão mais leve só de pensar na quantidade de tempo e neurônios que vou economizar organizando tudo aquilo todo ano! Eram dois armários de porta dupla cheios. Agora é só um e não pretendo voltar a encher o segundo. Sinceramente, não foi um suplício buscar informação, até porque esse conhecimento é interessante. Se quisermos descartar da forma correta, teremos que aprender minimamente como as coisas são feitas e do que elas consistem e isso não é algo ruim, só faz parte do consumo consciente. Se eu tivesse adquirido esses ensinamentos na escola ou na minha infância, talvez não tivesse produzido tanto lixo até hoje. Que bom que agora tenho a informação e posso passar adiante 😉

Sempre bom lembrar: não é o que temos que nos define!

Sempre bom lembrar 2: papel não é lixo! Revejam os conceitos de desperdício e lixo no glossário do blog link.

Espero que vocês tenham gostado das dicas. Em caso de dúvidas ou qualquer outra coisa, deixem recado por email-face-insta-comentários. No próximo post, vou falar de varanda. E pra você que não tem varanda, melhor ficar ligado. O que há na minha varanda, pode estar na sua sala 😛

Talvez você também goste

2 Comentários

  1. Estou amando muito seu blog e esse foi meu post preferido e o que eu mais precisava. Obrigada mesmo por todas as dicas e toda a atenção. Espero conseguir colocar tudo isso em prática!
    Tenho 24 anos mas devo estar com as crise dos 25, porque nada mais faz sentido rs e achei seu instagram e consequentemente seu blog num momento ótimo, não sei como não pensei nessas coisas antes!
    Obrigada por mudar o meu mundo 🙂

    1. Hahahahahha deixa a crise pra quando chegar nos 30. Por enquanto é mais uma inquietação rs. QUe bom que gostou. Vai com calma, escolha um item por vez, pra não atropelar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *