Cozinha Desperdício Zero (parte 2) ou – abaixo a ditadura da sacolinha!

Yeeeeessss! Minha última sacolinha, consegui me livrar!
De onde surgiu isso?
PRAGA!

 

 

 

 

 

 

 

Odeio sacolas plásticas! Odeio/detesto/abomino mesmo! Acho muito desnecessário, mas confesso que precisei abrir a cabeça quanto a isso. Assim como muitas pessoas, eu já tentei me livrar delas várias vezes, mas sempre ressurgiam (do nada) e de repente lá estava eu, surtando, com um monte de sacolinhas em casa. Como será possível que tal item tenha se tornado uma constante na minha vida? A resposta é simples: HÁBITO.

Então eu criei um passo a passo anti-sacolas

  1. recusar! recuse todas as sacolas de plástico que são oferecidas.
  2. ecobags! tenha sempre uma ecobag com você e outras para as compras em casa.
  3. uma lixeira basta! retire todas as lixeiras da sua casa, deixando somente uma de recicláveis na cozinha.
  4. tenha uma composteira ou serviço de compostagem.
  5. abra a cabeça e repita o mantra “eu não preciso de sacolas”.

Mesmo com todo esse passo a passo, elas continuavam surgindo na minha casa. OH MY GOD!!! O que está acontecendo? A resposta é simples: Carol. Carol, amiga linda do meu coração, dedico a você mais um dos posts mais aguardados do século 😛

————————-

Passo 1: RECUSAR

Recuse mesmo, sem ter medo! Seja forte! A pessoa vai insistir “só uma sacolinha…”- não! Na padaria, na farmácia, na loja, no sapateiro, no supermercado, no AmPm etc. – não! É um treino, é um hábito, é um teste de resistência e você vai conseguir! Carol é uma pessoa fofa e acaba cedendo à insistência dos atendentes (que por sua vez também estão presos a um hábito). Precisei incentivar a prática do RECUSAR! Até porque, sabem quantas sacolas plásticas são produzidas por ano no mundo? De acordo com o site The World Counts são 5 trilhões de sacolas por ano link. Outras Organizações estimam com menos precisão para mais de 1 trilhão por ano.

NÃO É NÃO

A iniciativa Plastic Pollution afirma que somente em 2013 foram produzidos 299 milhões de toneladas de plástico link e já falei pra vocês no post anterior sobre os males desse material. Nem todas as sacolas vão para reciclagem e por isso muitas poluem o meio ambiente, além de causar a morte de muitos animais e nossa intoxicação. Vou pedir licença pra falar um palavrão (puta que pariu!!!!!! Que praga maledetta – sorry pelo desabafo). Obviamente que para você recusar sacolas, vai precisar de algo pra carregar suas coisas. Você pode utilizar suas mãos, pra variar um pouco, ou recorrer ao velho hábito (sim, era assim que as pessoas faziam) de utilizar sacolas de pano!

———————————-

Passo 2: ECOBAGS

Existem muitos tipos de ecobag e com o tempo você vai descobrir as que melhor se encaixam para você. Eu tenho um monte. As de lona são ótimas para as compras do supermercado, pois são largas.

São de lona/plástico resistente, mas pode ser uma do mesmo modelo de tecido!

As de tecido são ótimas para levar na bolsa ou mochila, pois dobram, ficam bem pequenas, não pesam e nem fazem volume.

Reutilização de uma sacola de tecido de uma loja de roupas.

Para coisas menores, tipo pão da padaria, legumes ou frutas, basta pegar um tecido 100% algodão (ou um lençol velho) e mandar fazer saquinhos de pano na costureira. Vejam essas ideias de sacolas reutilizáveis para vegetais link, para pães link etc.  No começo, Carol sempre esquecia a ecobag. Por dentro eu quase paria um tupo de PVC de raiva, mas eu entendi que era uma questão de hábito e que ela era enrolada também (palavras dela). Até que um dia ela chegou em casa super feliz “Amiga, não esqueci a ecobag!” e vi que realmente ela estava tentando e que cada um tem seu tempo e precisamos realmente respeitar isso.

Nesse momento você deve estar pensando, “ok Karin, mas eu preciso da sacolinha para colocar na lixeira”.

———————————-

Passo 3: UMA LIXEIRA BASTA

Já falei em todos os posts dos outros cômodos que basta ter alguma lixeira para jogarmos lixo nela. Dessa forma misturamos tudo e dificultamos a reciclagem. Deixe somente um compartimento de recicláveis na cozinha. Estude sobre o que é e o que não é reciclável. Essas informações você pode obter aqui no blog, no meu instagram link ou nos sites da Recicloteca link, Ecycle link entre outros. Ou seja, nada mais de misturar tubo de pasta de dente (reciclável) com papel higiênico usado, né?! Ok, segunda etapa desse passo. Tudo que é reciclável deve ser levemente lavado, para evitar insetos e contaminação. Passa aquela água rápida e espere secar.

Cenário 1 (prédio com coleta seletiva): Se você mora em prédio, seu prédio provavelmente tem um compartimento onde se encontra uma lata de lixo de recicláveis por andar. Nessa lata de lixo já deve conter uma sacola plástica. Pra que uma sacolinha, se já tem uma sacolona lá esperando? Ponha tudo na sua lixeira totalmente nua, acumule e depois despeje no compartimento do prédio.

Lixeira nua, sem sacolinha! Acumule aí e despeje no compartimento do prédio.

Cenário 2 (prédio ainda sem coleta seletiva): Se existe coleta seletiva na sua cidade, basta acionar a prefeitura, verificar o dia da coleta, estudar as normas e ativar o sistema no seu prédio. Após projetar um sistema para o seu prédio, faça uma bela campanha, coloque informações importantes, coloque-se a disposição para ajudar e mantenha o bom humor sempre. Tem que ser convidativo, já que estamos em um país onde ninguém quer ter obrigações e responsabilidade, só usufruir. Pra facilitar, vou mostrar como funciona no meu condomínio.

Mande desativar o duto de lixo, caso haja um.
Disponibilize um compartimento para recicláveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

Disponibilize compartimento para não recicláveis, com tampa.
Disponibilize informações adequadas sobre materiais e horário de recolhimento dos descartes.

 

Caso seu síndico (a) não tenha interesse, coloque a mão na massa você mesmo. Estude outros prédios que tenham se adaptado, monte um projeto com fotos, planilhas e tudo mais, mobilize outros moradores e mantenha o sorriso e a calma!

Cenário 3 (casa em cidade com coleta seletiva): Amoreeeeeeee, a casa é tua! Arrasou! Me chama pra um café! Acione a coleta, entenda o sistema e ponha seus descartes pra fora de casa no dia certo. Você pode ter aqueles tonéis laranja com a única sacola semanal ali dentro e manter a lixeira nua em casa.

Cenário 4 (casa ou prédio em localidade sem coleta seletiva): A maioria das cidades no Brasil não tem coleta seletiva. Isso é um absurdo! Se for o seu caso, você pode uma vez por mês levar seus descartes até a cooperativa de reciclagem mais próxima. Procure outros interessados por isso na sua cidade, monte um grupo, alterne tarefas, mobilize as autoridades e exija seus direitos.

————————————–

Passo 4: COMPOSTEIRA OU SERVIÇO DE COMPOSTAGEM

Descartes orgânicos não são lixo. Eles têm a capacidade de voltar a virar terra. Eu tenho um minhocário em casa e também utilizo o serviço de compostagem do Ciclo Orgânico link quando se hospeda muita gente lá em casa. Com isso quero dizer que dois amigos da Carol foram lá pra casa e de repente éramos 4 com um minhocário de capacidade para 2. Ou seja, as minhocas não deram conta e precisei ativar o Ciclo Orgânico. Funciona assim, eles te dão um balde com uma sacola 100% compostável e tampa veda-tudo. Não sai cheiro nenhum e nem entra mosquinha. Você pode levar até eles ou eles buscam e compostam pra você. São tão queridos e maravilhosos que acabei mantendo o serviço. Eu prometo fazer um post super incrível somente sobre composteira.

Baldinho mais famoso do Rio de Janeiro!

Enquanto isso vocês podem procurar ajuda na cidade de vocês, pois tem muita gente compostando por aí! Não tenham medo e nem nojo, please! É o nosso alimento, se reintegrando à Terra e deixando de virar poluição. Mais uma vez a Carol me surpreendeu se prontificando a cuidar do minhocário, enquanto eu estivesse viajando!  Por que ela fez isso? Pois me via cuidando dos nossos descartes e cada dia eu falava um pouquinho, até que passou a fazer parte da rotina.

——————————-

Passo 5: ABRA A CABEÇA E REPITA O MANTRA

Abrir a cabeça foi e está sendo uma grande jornada para Carol, digo isso pois muita gente me acha pra frentex e eu saio do supermercado carregando uma melancia na mão se precisar. Mas a Carol morre de vergonha comigo (huauahua).  A verdade é que cada um teve uma educação e por isso, às vezes, estamos tão acostumados a fazer de um jeito, que fazer de outro parece coisa de outro mundo. Carol trazia sacolinhas pra casa, dentro da ecobag. Pra ela era hábito separar limão, de maçã, de pepino etc. em mini sacolas transparentes de plástico. Até eu explicar que colocava tudo junto na ecobag.

Reutilização de sacola de pano de sapatos. Legumes e frutas não brigam entre si, pode juntar tudo!

Depois ela me perguntou como eu fazia com hortaliças. Simples, eu coloco por cima de tudo, pra não amassar, mas também sem sacolinha. E assim ela foi perguntando e vendo que, de fato, essas sacolas não são necessárias. Pronto, o hábito se tornou um outro hábito! Abrir a cabeça é perceber que temos mãos, mochilas, bolsas e tudo mais. Não vamos morrer se carregarmos uma garrafa de leite na mão, muito menos um pacote de remédio. Se colocamos nossas compras na mochila durante as viagens, por que não podemos colocar nossas compras do dia a dia numa mochila também?

———————————–

Pra você que acha que ainda precisa de sacolinha, que tal tentar uma biodegradável? Pra isso ela precisa ser 100% de matéria orgânica. Olhem esse site da Positiva.A link com uma linha toda nesse estilo! E também tem um saco de lixo feito de jornal que já mostrei no instagram. O vídeo é um  tutorial da Recicloteca.

A Carol me ajudou a entender que cada um tem uma percepção diferente, assim como um tempo individual de assimilar as coisas. Mas ela também me ensinou que, no fundo (e fora o Trump) ninguém quer poluir. É uma questão de informação e alguém pra mostrar que dá pra fazer! Por isso, convido você também a mostrar para outras pessoas que dá pra fazer 😉

Mais uma vez, obrigada amiga!

Sempre bom lembrar: gentileza gera gentileza e novidade gera curiosidade. Só de tomar a iniciativa, outras pessoas vão te perguntar e você terá uma chance de passar informação!

obs: prometo fazer um post sobre cocô de cachorro, outro sobre composteira e outro sobre tipos de sacolas que se dizem biodegradáveis.

No próximo post vamos para a Parte 3 da cozinha – produtos de limpeza. Yeah!!!

Talvez você também goste

7 Comentários

  1. Olá, você usa a ecobag pra colocar as roupas/objetos que você compra nas lojas? Quero muito começar a abolir, mas ainda não tenho coragem… não sei porque dá vergonha 🙁

    1. OI Camilla.
      Normal você ficar com vergonha. A questão é que você não está fazendo nada de errado. Não usar sacola plástica não é errado, é só uma escolha. Também é normal a vendedora/atendente achar estranho, pois ela está condicionada à sacolinha, assim como nós.Basta você ter convicção do que está fazendo 😉 Comigo, poucas pessoas olham feio e a maioria me parabeniza quando explico. Eu mantenho a sacola de pano na bolsa ou mochila. levo sempre comigo e qualquer coisa que eu compre, ponho nela. Mesmo que seja uma roupa nova.

  2. Outra coisa, em relação as frutas/legumes que você mistura na ecobag você não enfrenta problema? Eles não devem ser separados de modo que a atendente do supermercado possa computar a quantidade certa de cada coisa na hora da compra?
    Eu só consigo imaginar que brigariam comigo por colocar tudo misturado rs

    1. OI Camilla,
      não enfrento problemas. Eu ponho tudo na balança. Se compro 6 limões, coloco os 6 em cima da balança. Se compro 12, coloco 6 na balança e de pois os outros 6. Eu não ponho maçã com pepino com tangerina na balança. Coloco junto na sacola de pano, mas peso separando por item. Eu também pensava que iam reclamar comigo, mas eu fui lá, fiz assim e ninguém reclamou. Se atendente fizer cara feia, siga firme na sua escolha e aproveite o momento para comentar que assim você evita gastos para o estabelecimento e lixo. A maioria fala “Nossa, parabéns pela atitude”.
      NINGUÉM é obrigado a usar sacolinha! Em outros países nem tem a sacolinha. A galera pega as próprias caixas de papelão do lixo do supermercado e coloca tudo dentro, pois sacolas são pagas. O povo sai com tudo na mão, na mochila, em caixas e tudo mais. Pode ficar tranqüila, vai dar certo!

  3. Aqui nem tenho mais a caixa de guardar sacolinhas. Tem situações inevitáveis e às vezes temos uma ou duas na semana. De resto, tenho lixeira única(1 saco plástico grande, porque aqui é prédio e não dá para coletar direto na lixeira do térreo). Como São Paulo (!) não tem coleta seletiva separo reciclaveis e levo ao posto de coleta no dia de fazer supermercado. Prefiro levar 2 ou 3 ecobags para separar os itens na hora da compra.E nas lojas de roupas uso minhas próprias sacolas, sempre que posso.

    1. Olá Elizabete,

      eu fiz um post com uma visão geral do meu banheiro. Eu não uso papel higiênico mais. Uso chuveirinho e seco com toalhas (pequenas). Para as visitas tem o papel, mas é muito pouco e por isso, vai no vaso. O que ainda utilizo de embalagem, eu coloco na lixeira de recicláveis da cozinha. Você pode dar uma olhada no post, para infos sobre os outros itens. abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *