Escritório sim, lixo não! Parte 2

nível de poder 1: organização! (sim, você consegue!)
nível de poder 2: passe de fase e ponha tudo no computador!
nível de poder 3: última fase do jogo – HD externo!

Quantos computadores você já teve desde que veio ao mundo? Quando eu nasci (há dez mil anos atrás – rs), as pessoas ainda não tinham computadores em casa. Eram exclusivos de laboratórios, da Nasa e de empresas, na época, consideradas futurísticas. Na minha vida já tive 5 computadores. Isso quer dizer que em 19 anos (eu tenho 31, mas meu primeiro computador foi aos 12) eu tive 5 computadores, dos quais somente 1 realmente quebrou! Fora impressoras, scanner, fax, agenda eletrônica, tablet… Ou seja, nos entupimos de aparelhos eletrônicos para facilitar nossas vidas e nosso escritório vira um grande acumulador de tralha, desde apontador até sei lá mais o que existe de moderno nesse mundo!

Então eles ficam obsoletos, enferrujam, a bateria descarrega totalmente, perdem a cola, ficam feios e com cara de velhos, não têm mais atualização do sistema ou simplesmente quebram e o vendedor da loja nos convence de que comprar um novo vale mais a pena. Mas o que fazer com o velho? Vou repetir e continuar repetindo o mantra do Desperdício Zero, mas dessa vez adicionando um verso a mais: recusar – reduzir – reutilizar e empodere-se ! Isso mesmo, empodere-se e não se deixe levar pelo papo das indústrias!

Segue a parte 2 da lista para um escritório sem lixo (yeeeeeaaahhhh)

COMPUTADOR

iameco

Gostaria de agradecer profundamente e, mais uma vez, a todos os seres muito inteligentes e dotados da capacidade de mal ver a luz do dia, por criarem o computador. Agradecer mais ainda a todos aqueles que fizeram desse luxo algo menos trambolho e mais leve, menor, com menos cabos e principalmente com mais espaço de memória! Fato que o computador faz parte de nossas vidas e fato que ficará obsoleto. Infelizmente as atualizações ficam pesadas e chega uma hora que a máquina não aguenta. Aqui gostaria de ressaltar a importância de cuidar bem dos nossos bens! Fazer manutenção, chamar um técnico pra limpar (pois acumula poeira dentro das peças), instalar um bom antivirus e não ficar esmurrando o coitado do mouse, por que ele resolveu não deslizar direito. Ele não desliza, pois está sujo. Então temos dois aspectos. O da pré e pós-compra. A pré-compra ajuda bastante a reduzir possíveis lixos.

  • Escolha peças que não dependam de pilhas (Eu detestava cabos, mas são melhores do que peças wireles com pilhas que não tem descarte correto.).
  • Veja se a peça é inteira ou se tem outras mini-partes que possam quebrar com facilidade.
  • Veja se dá pra desmontar pra limpar.
  • Veja se dá pra estender a memória da máquina.
  • Mantenha tudo no HD externo para não pesar o computador e deixá-lo lento.
  • Dê chance aos computadores e peças usadas. Se não der, invista em uma boa máquina.
  • Procure saber sobre a assistência técnica, se é prestativa, se tem perto da sua casa ou se é tudo online etc.

Mesmo fazendo tudo isso, uma hora vai dar problema. Não se esqueça de que para um objeto novo ser feito, é retirada matéria-prima da natureza e acontece muita poluição. Portanto é sempre melhor consertar e prolongar a vida do objeto. Afinal, nem todos os computadores são como o MARAVILHOSO Recompute link  – um computador que não usa plástico, tem o processo de produção reduzido (gasta menos energia) e eles recolhem o hardware depois que atingir a vida útil pra ser reciclado! CARACAAAAAA!!!!! E os lap tops, tablets e peças da Iameco link ??!?!?!?!? Olha que lindo! tudo de bambu! Sabe por que é importante falar sobre redução de e-lixo? Pois, mesmo muita coisa sendo reciclável link, dentro dessa maravilha toda tem chumbo,  mercúrio, cádmio e mais um bando de metal pesado que, nos lixões e aterro sanitário, escorrem para o solo e atingem o lençol freático, chegando até o bebedouro do Shopping (da faculdade, do prédio, do clube…), onde você enche sua garrafinha link e se essas substâncias fizessem bem, já estariam sendo vendidas em cápsula e recomendadas pelos nutris no lugar do glúten!

——————————

 

PASTAS ORGANIZADORAS

Eu era organizada, hoje em dia sou minimalista 😉

Você é daquelas pessoas que dá ouvidos aos seus pais e guarda todas as contas impressas por cinco anos? Minha santa padroeira do desperdício zero! Vamos dar ouvidos a modernidade! Sem ofensas, fiz isso por muito tempo também. Consultei um advogado, que me explicou “no máximo por três anos” e versão digital serve! Se você fizer muita questão de guardar impresso ou tenha que fazer isso por algum motivo, procure por organizadores que não sejam de plástico. Essa praga resseca e se desmancha, fica meio turva e feia e dá muita vontade de trocar por uma mais bonitinha. Eu indicaria fichários de papel. Sei que as opções são limitadas, mas persista na saga e tenho certeza  que você encontrará uma opção mais duradoura e menos poluidora, já que você não aguenta mais ouvir nesse blog que plástico não se decompõe nunca!

—————————–

APONTADOR

Foi pra escanteio, depois que eu assumi meu relacionamento com a lapiseira!

Admiti no post anterior que era consumidora de artigos de papelaria. Mesmo usando a lapiseira no lugar da caneta,  adoro desenhar e pintar e ainda tenho muitos lápis de cor, então meu apontador é necessário. Mas existem versões de metal, madeira e aço inox. Prefira esses modelos e também os que possuem esse parafuso (como na foto). Assim, dá pra desmontar e afiar (nada de jogar fora!).

——————————

DUREX E ADESIVOS

Fuck durex!

Não é reciclável! Eu repito, não é reciclável! Câmbio!

Durex é tão óbvio! Uma fita com cola pra grudar coisas. Rapidinho nos tornamos dependentes dele!  Peguei todos que tinha na minha casa e doei para escolas. Quando precisava de um, eu pensava em formas de substituir. Percebi que não precisava de durex pra nada. Ou melhor, que não ia morrer sem ele. Encomendei uma tábua de madeira e coloquei no meu escritório, para fixar algumas coisas (com tachinha de metal) como a conta do condomínio (a única que não recebo por e-mail), pedido de exame médico (ainda não inventaram a versão com código de barras no celular) e fotinhos da família. Dinheiro rasgado eu não aceito mais. Não adianta me xingar, eu devolvo no ato e peço outra nota. Em último caso, troco no banco. Desafio você leitor a viver sem durex por um tempo. Toda vez que tiver o impulso de usar, pergunte-se se não há outra forma. O mesmo vale para adesivos e post-it de plástico.

—————————–

MARCA TEXTO

Outro vício superado!

Marca texto, super normal. Tem amarelo, laranja (meu preferido), verde… arco-íris da paixão! Sabem porque essa cor brilha que nem bumbum de vaga-lume? Por que é fluorescente link! Muito interessante aprender que o fluorescente absorve uma cor de luz e emite outra cor, esta perceptível aos nosso olhos (por favor menos lixo é pura ciência- HA). Parabéns pra você que já sabia a definição disso! Mas sabia também que essa tinta fluorescente é pura química? Hoje existem versões à lápis! Menos perigosas de vazar e que podem ser mais aproveitadas do que esse troço que resseca e fica sobrando. Tem essas canetas em versão refil, com redução de plástico, mas prefiro usar um lápis de cor amarelo. Serve tão bem quanto, bem menos poluente e aquele cotoco que sobra dá pra ser aproveitado com um extensor de lápis.

———————–

IMPRESSORA

Assim como computador, a gente tem tendência a sempre trocar por uma mais moderna. Aí mora o perigo! As impressoras mais furrecas de antigamente eram as menos perigosas para nossa saúde. A tinta era tinta mesmo, uma mistura de pigmentos que fixava (e borrava) no papel. Agora todo mundo quer uma a laser ou fotocopiadoras. Essas usam toner ou tinta com resina e polímero (lembra que plástico também é polímero e que não devemos queimar ou aquecer plástico, pois solta gases tóxicos?) junto ao pigmento. O aparelho aquece isso tudo pra grudar no papel e, adivinhem, pode soltar micro partículas no ar. Agora te pergunto, onde fica sua impressora? Ao lado do seu computador, bem pertinho de você? Xiiiiiiiiiii. Aí as empresas dizem que tem um selador de silicone que impede vazamentos! Aham… que nem Fukushima… Samarco… navio que vaza petróleo etc. Para mais informações (link em inglês completão, link em português moderado, link sobre tinta normal, link com foto bizarra de um pulmão).

Eu não tenho impressora. Reduzi o uso do papel, mando tudo por PDF, faço escândalo (de leve – rs) quando não me deixam mandar versão digital e, se muito necessário, vou a uma gráfica e peço no papel reciclado. Informem-se e façam suas escolhas.

————-

😉 Meu atual computador é de 2009. Não gostaria de me desfazer, uma vez que está ótimo. Alguns programas já não posso instalar, pois ficará pesado e já estendi o máximo de memória que cabe. Sei que precisarei, em breve, de um novo. Mas vou persistir e tentar achar soluções antes de fazer uma nova aquisição. Sei que hoje em dia comprar é fácil. Dá menos trabalho, dá pra parcelar etc. Mas precisamos pensar no impacto de cada uma dessas aquisições. Juro que pode assustar, mas uma vez que você entende, torna-se automático e não precisa mais ficar buscando informação. Hoje meu escritório tem mais plantas nas prateleiras do que objetos e é um alívio não depender e nem gastar dinheiro em papelaria! Portanto, recuse aquilo que você não precisa, reduza aquilo que você não pode recusar, reutilize aquilo que você não pode reduzir, e empodere-se como consumidor! Informe-se e não caia no papo furado capitalista de quem só pensa em dinheiro e quer lucrar a qualquer custo!

No próximo post vou falar da sala! Um bafão atrás do outro 😛

Talvez você também goste

4 Comentários

  1. Karin, sobre adesivos, pra quem precisar usar, uma opção não seria a fita adesiva de papel kraft com goma? Eu li que é reciclável! Você tem informações sobre ele? O que acha?

    1. OI Ana,
      acredito que seria uma opção melhor sim. Existem 2 sistemas, um de cola ativado por água e outro um adesivo de látex natural ativado por fricção. O importante é que a cola seja de um material natural, tipo algum amido… O papel kraft também usa química para ser produzido (o ideal seria a empresa tratar a água antes de descartá-la), mas bem menos do que os papeis brancos. Por isso o uso também deve ser consciente. Essas fitas são muito importantes pois são recicláveis (ou até compostáveis), mas pouco solicitadas em papelarias. Cada vez mais difícil de achar pessoalmente. Nós consumidores que temos que criar demanda 😉

  2. Qual seria a solução para envio de materiais pelo correio por exemplo? Normalmente exigem papel kraft e fita adesiva…

    1. O papel Kraft é uma solução melhor sim. Fita adesiva é melhor a de papel. Mas essa é mais difícil de entrar em papelarias. as melhores não levam cola, mas sim uma goma que vc deve molhar. Super resistente, mas de papel msm 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *