O que é lixo, quais são suas categorias e por que devemos (sim) nos preocupar?

Enquete:

  • Você já se sentiu incomodado com o lixo deixado na praia, por exemplo, após um final de tarde?
  • Você já se sentiu incomodado ao fazer uma viagem e ver lixo na estrada ou até mesmo no local pra onde você foi?
  • Você já se sentiu incomodado ao ver alguém jogar lixo no chão na sua frente?

Se você respondeu “sim” para alguma dessas perguntas, então você deve ler esse post! Na verdade, todos deveriam ler, mas como diria minha mãe – Uma coisa ou pessoa de cada vez (sábias palavras!)

:mrgreen: O que é lixo?

Bom, a questão não é o que é, mas sim que TUDO tem potencial de virar lixo. Sim, eu disse t-u-d-o! Qualquer coisa descartada de forma errada se transforma em lixo em qualquer lugar do mundo e vai parar no lixão/ aterro sanitário/ mar/ floresta/ rua etc.

😮 Mas como assim?

Para entender melhor essa questão, proponho diferenciar dois termos:

  • Desperdício é tudo aquilo que, ao final de sua vida útil, é descartado de forma indevida, culminando em poluição.
  • Lixo é tudo aquilo que, ao final de sua vida útil, não tem nenhum descarte apropriado e seu único destino possível seria o lixão/ aterro sanitário.

Foi a partir desses conceitos que comecei a enxergar possibilidades de mudança no meu comportamento.

😡 Karin, pelo amor, me explica logo!!!

Ok, então vamos lá:

Se desperdício é tudo aquilo descartado de form indevida em determinado momento, logo, sendo descartado de forma certa, não será um desperdício e não poluirá! E se lixo é tudo aquilo que não tem descarte apropriado, logo é só não consumir nada disso pra não ter que descartar depois. TCHAN! BAM! BAZINGA! É exatamente isso, simples assim (sqn :/).

Existe lixo doméstico, industrial, especial, espacial, hospitalar, radioativo, agrícola etc. Nessa primeira faso do blog, vou falar de lixo domiciliar. Escolhi começar dessa forma, pois acredito que as mudanças ocorram primeiramente dentro de nós e dentro da nossa casa (nhó, que meigo). Pra vocês entenderem melhor, vou separar os principais tipos de lixo doméstico ou domiciliar por categorias (com imagens pra ninguém dizer que não ficou claro, humpf).

lixo orgânico
Resíduos orgânicos
Resíduos sólidos

 

 

 

 

 

 

 

Lixo eletrônico
Lixo eletrônico

 

Resíduos orgânicos: frutas, legumes, vegetais, grãos, cereais, sementes, ervas e até a plantinha que morreu (pois você não regou), restos de carne e derivados de animal.

Resíduos sólidos: qualquer coisa não- orgânica que o proprietário não queira mais

  • recicláveis: ALGUNS TIPOS de papel/ metal/ vidro/ plástico/ outros materiais
  • não recicláveis: MUITOS TIPOS de papel/ metal/ vidro/ plástico/outros materiais

Lixo eletrônico: qualquer aparelho eletrônico como televisores, celular, aparelho de som, amplificador de mp3 ou ipod, blu-ray e dvd disc, teclados, mouse, computadores, lap top etc.

O resíduo orgânico representa 50% do lixo do brasileiro. Os outros 50% de resíduos sólidos se dividem em diversas categorias. Mas se nós pararmos de achar que tudo é lixo ao final de sua vida útil e pudermos considerar que grande parte disso tudo é desperdício (lembra dos conceitos lá em cima?), então temos muitas soluções!

É simples. Para o lixo orgânico, basta ter uma composteira. Vou falar desse assunto num post dedicado somente a ela, mas já adianto que QUAQUER PESSOA pode ter uma composteira link ou minhocário link em casa ou apartamento. É muito fácil, não tem grandes mistérios. Vocês podem fazer uma e, pra quem não é chegado a um trabalho manual, podem comprar uma pronta como da Morada da Floresta link , contratar um serviço de recolhimento ou aproveitar iniciativas como a do Ciclo Orgânico link (no Rio, eles buscam na sua casa e ainda devolvem a terra com muda de horta). Pronto, já resolveu METADE DO LIXO DO BRASIL (uhuuuuuul!)

Para lixo eletrônico, é mega simples. Basta deixar em pontos de coleta específicos.

Para resíduo sólido existe a soleta seletiva. Essa coleta ajuda a diminuir o impacto do materiais que a indústria (ou galera do mau) fazem questão de gerar quase que única e exclusivamente para lucrar sobre nós. Nem tudo precisa ser de plástico, nem tudo precisa ter embalagem, as embalagens podem ser retornáveis e recicláveis. No entanto, fazer tudo isso ao contrário sai mais barato para muitas empresas e elas lucram em cima da nossa falta de informação, do nosso comodismo e da falta de uma legislação forte (o governo lucra com impostos em cima do lucro das empresas, será que tem algo a ver?).

Calma que está acabando o post!

Como funciona a coleta seletiva?

Também é simples. Você consome um item de resíduo sólido. Ao final de sua vida útil, você limpa (principalmente embalagens de comida) conforme recomendação (lavar rapidamente para tirar o excesso); separa conforme recomendação (separar o que for reciclável do descarte orgânico) e, se você morar em um local por onde a coleta passe, é só descartar conforme recomendação (em sacos transparentes). Aí é só deixar o lixo na sua porta nos dias certos que a coleta passa. Caso não more em local de coleta seletiva, aí o ideal seria providenciar um local central para que todas levem os descartes até lá para o órgão responsável buscar (falarei mais sobre isso num futuro bem próximo. Não sofram por antecipação!).

Então qual é o problema, por que somente 2% do lixo no Brasil é destinado ao lugar certo?

As pessoas não recebem informação correta sobre descarte, as pessoas não tem composteira, as pessoas não descartam os recicláveis da forma correta, o que impossibilita a COMLURB e outros órgãos de recolher da forma correta e a soleta seletiva não passa em todos os lugares e assim vai… O que não é reciclável, não tem jeito, acaba indo para o lixão mesmo e é por isso que é tão importante  que tanto o consumo desses produtos seja diminuído quanto que as outras coisas não cheguem até o lixão. Lixões e aterros sanitários são um grande acúmulo de desperdício e de lixo de todas as categorias. Poluem o ar que nós respiramos, poluem os lençóis freáticos e a água que consumimos entre outras coisas. NÃO É LEGAL!

🙄 Ok Karin, entendi. Ter uma composteira e descartar da forma correta! É isso? Acabou? Posso ir?

Só mais um parágrafo, ok? Prometo!

Mesmo que a gente consiga que, no Brasil, gerel tenha uma composteira e geral descarte tudo da forma correta, a reciclagem não é uma solução (como eu disse, ela só diminui o impacto) pois:

  • muita coisa não pode ser reciclada
  • a reciclagem não funciona eternamente, pois muitas matérias ficam mais fracas durante o processo e chegam a um ponto, onde não há mais o que fazer e viram lixo de qualquer jeito
  • o consumo exagerado de produtos tipo resíduo sólido faz com que sobre muito mais lixo do que o planeta tem capacidade de comportar

O resultado disso é poluição que contribui para o aquecimento global, rios secando, mar e ar poluídos, espécies de planta e animais desaparecendo, comida contaminada e nossa própria contaminação pelo que nós mesmos causamos.

❓ Puts, Karin. Então como eu faço?

“Repensar preciso é” – Yoda 😄

⭐ É preciso repensar nossas formas de consumo!

O movimento ou estilo de vida Desperdício Zero utiliza a ESCOLHA como ferramenta para diminuir o impacto do nosso consumo. Por isso que muitos adeptos falam que é simples ser desperdício zero. Escolher ou optar por um consumo mais consciente das coisas, desperdiçando menos, escolher ou optar por produtos sustentáveis ou biodegradáveis, mesmo agressivos ao meio ambiente, escolher ou optar por coisas menos agressivas a nossa saúde etc. Eu sei que nã vou salvar o mundo e provavelmente nem você, mas dá pra melhorar e mudar muita coisa, começando individualmente 😉 Foi por isso que eu fiz essa escolha. Está confuso ainda? Calma que no desenrolar do blog  vai ficar mais claro. 

No próximo post vou mostrar um banheiro desperdício zero (YEAH!).

Talvez você também goste

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *