Ué, quarto gera lixo? parte 2

Eu amo minhas roupas…
Calma, espera…
Xiiiiiii…

 

 

 

 

 

“EU NÃO TENHO NADA PRA VESTIIIIIIIRRRRRRR!!!!!!”

Quantas mulheres não repetem essa frase todos os dias, enquanto olham para seus armários cheios de roupa? Conheço várias!!! Não sei em relação aos homens, nunca ouvi isso de um amigo meu (alguém aí me conta?). Então, a pessoa coloca um vestido super bonito, mas de certa forma a insatisfação persevera lá no fundinho e, na primeira oportunidade, vai as compras. “Preciso fazer compras!”, será? Será que PRECISAMOS fazer compras?

Há algum tempo eu estava insatisfeita com meu armário. Achava tudo lindo, mas não tinha vontade de usar mais nada. Esperei, não me desfiz de nenhum item para entender o que estava acontecendo. Percebi que, apesar de gostar das minhas roupas, elas não representavam mais o meu novo estilo de vida (desperdício zero), estavam infantis também (lembra da crise dos 30 que falei no post 1 do blog?) e nem um pouco práticas (muita coisa com combinação restrita). Senti necessidade de trocar tudo! Selecionei as peças que eu mais utilizava e separei o resto. RESTO???? Quem disse que aquilo era resto?

Roupas não são descartáveis! Só porque não queremos mais usar, não quer dizer que sejam lixo. Também não quer dizer que a roupa tenha perdido valor e muito menos que sirva só pra caridade. Antes da roupa chegar no seu armário, ela já foi algodão ou seda, foi extraída por mão de obra escrava, foi para uma tecelagem pra virar tecido, utilizou e poluiu muita água para ser tingida, depois foi comercializada a preço de banana para as marcas que utilizam mais mão de obra escrava ou não pagam o preço justo às costureiras. Aí a roupa poluiu mais ainda pra chegar até os galpões (transporte gera muito CO2) e ser distribuída às lojas, pra você comprar e um dia falar “não tenho nada pra vestir” ou pra eu chamar de “resto”.

O que fazer?

Siga esse passo a passo básico (NESSA ORDEM!) para desperdiçar menos e evitar lixo fashion:

o_O Não considere a roupa como algo descartável e nem lixo!

😮 Entenda que foi extraída matéria prima do meio ambiente e gerada poluição para produzir aquele item.

😐 Entenda que, produzir essa roupa, envolveu o trabalho de muitas pessoas e isso não deve ser ignorado.

😉 Conserte suas roupas, desde pequenos buraquinhos até meias puídas.

😎 Considere Brechós tanto para vender quanto para comprar. E daí que já é roupa usada? Você não colocou a sua lá pra alguém comprar e usar também?

🙂 Compartilhe roupas entre amigos. Crie um grupo entre amigos, tire fotos com as medidas e coloque à disposição para empréstimos.

😕 Antes de comprar algo novo, pergunte-se se você REALMENTE precisa daquilo e não somente está com vontade de comprar.

😳 Não acumule. Se quiser renovar as roupas, dê outra chance a elas. Leve até uma costureira e proponha um novo modelo. Um vestido pode virar uma linda blusa por exemplo.

😉 Repasse os retalhos para ONGs e Cooperativas de costureiras artesãs que fazem fuxico, colchas etc. Retalhos também não são lixo!

❤ Doe diretamente para quem quer ou precisa. Leve pessoalmente às instituições. Não utilize o ato de doar como um ato de “se livrar da roupa”. Doe com propósito!

:mrgreen: Procure por marcas sustentáveis, que gerem menos impacto ambiental e social.

🙂 Procure por marcas menores e estilistas independentes, uma vez que são os reais “fazedores”de seu produto, ao contrário das grandes marcas que terceirizam tudo e não pagam o justo aos artesãos.

💡 Dê preferência a tecidos naturais, pois os sintéticos poluíram e poluem muito mais (as fibras sintéticas de plástico se soltam durante a lavagem das roupas e vão parar no mar. São engolidas por peixes e outros animais, assim como as micro esferas de limpeza facial do post sobre banheiro).

Agora que você foi atencioso(a) e leu esse textão, segue lista com marcas MARAVILHOSAS!

RE-ROUPA  link

Já temos muita roupa no mundo, precisamos de um novo olhar para peças desvalorizadas. TCHAN! Conceito incrível que mudou a minha vida mesmo! Pega aquela sua roupa e leva pra Re-Roupa transformar!

LUCID BAG – guarda roupa coletivo  link

Você aluga a peça (por prazos diversos) e, se gostar e for peça nova, você pode comprar e a verba é repassada para a marca. Caso a roupa já tenha sido emprestada antes, ela fica no acervo até rolar um bazar lindo com tudo! Uma ótima chance de arrasar no vizu, sem precisar comprar nada!

PROJETO GAVETA   link

Que tal roupas novas sem gastar dinheiro? O Projeto Gaveta organiza uma big troca de roupa. Cada participante recebe um número de moedas simbólicas, que poderão ser trocadas por peças. As peças remanecentes são doadas para instituições diversas. Eu participei no Rio da primeira edição do Rio e foi bem interessante. Preparem suas ecobags, não quero ver nenhum leitor meu com sacola de plástico lá, hein (huaauhauhauhau)!

ODYSEE  link

E-waste fashion. Sabe aquele bando de aparelho eletrônico que você tem em casa? A Odysse transforma em jóias. Você pode levar tudo que você tem pra eles e trocar por descontos. Detalhe importante, o que sobra eles encaminham para um centro de reciclagem e ressuscitação de eletrônicos! Tem peças tradicionais e diferentonas. Eu já garanti meu broche!

THINK BLUE  link

Quantas calças jeans você tem? Mas de quantas você realmente precisa ou realmente usa no dia a dia?  A  Think Blue sabe o quanto que um artigo jeans precisa para ser produzido, o tanto de água e tinta que se gasta e por isso, renovam peças que seriam descartadas ou estão encostadas no armário. Que tal doar pra eles (lembra da doação com propósito?)

ETC CARIOCA  link

E pra quem acha que moda sustentável tem cara de reutilizada ou é muito alternativa, saiba que isso não é verdade! Tem muita marca por aí, tem que procurar ué! Quer moleza? Olha que incrível a Etc Carioca. Sabe aquelas pedras enormes e estátuas de pedra de papagaio rosa…lilás… ? Acabam sobrando pedaços dessas pedras durante a lapidação.  Etc Carioca reutiliza esses pedaços para fazer suas jóias.

Tem muita marca sustentável por aí e, se na sua cidade não tiver, que tal abrir a sua? Estou falando sério. Se nós queremos mudanças, precisamos agir. Seja a mudança! Tome iniciativa e conte com minha ajuda, desde para pensar em ideias, como desenvolver o projeto.

Bom, se você ainda está se perguntando como eu fiz para mudar meu armário, a resposta é: Ainda estou fazendo. Estou seguindo exatamente aqueles pontos acima. Pode ter certeza que roupa desperdiçada no armário, não tem mais. Quero reduzir mais ainda e deixar mais prático.

Sempre bom lembrar: é do essencial que a gente precisa!

PS: Eu sei que prometi falar de maquiagem nesse post. Mas preferi reduzir o textão (se não vocês não lêem…). Portanto, no próximo post sim que vai ter BAFÃO de make !!!!!!!!!

PS2: Assistam ao documentário “The True Cost”.

Talvez você também goste

2 Comentários

  1. Oi Karin,
    Tudo bem? Adorei as dicas! Estou passando agora pelo processo de “redução” de roupas no armário e as duas maiores dificuldades que tenho são:

    – A vontade de me desfazer de muita coisa X Querer dar o destino adequado ao que não uso mais e não encontrar a solução!
    Infelizmente eu consumia bastante e agora minha vontade é ter apenas o que uso e gosto, até para encontrar tudo com mais facilidade e não precisar comprar algo por simples falta de organização ou por impulso. Por outro lado, agora que tenho uma visão mais clara sobre o impacto da indústria de roupas e do descarte inadequado de tecidos, não consigo simplesmente me desfazer sem pensar no que vai acontecer com essa roupa depois. Nessa questão seu post me ajudou muito mesmo! Obrigada. =)

    – O que fazer com roupas que não se encontram mais em condições de uso por ninguém? Tenho esse problema principalmente com calcinhas! Aquelas que já não tem mais nenhum elástico, o tecido já puiu/esgarçou ou tem alguma avaria que não tem mais conserto mesmo! Você conhece alguma forma de reaproveitar esses tecidos?
    Conheci recentemente o projeto “Meias do Bem” que recolhe meias sem condições de uso e as transforma em cobertores e acho que para calcinhas e/ou cuecas uma solução similar seria legal, mas não encontrei nada parecido até agora. =(

    1. OI Bia,

      tudo bem? As roupas têm tempo de vida útil também. Os tecidos não duram pra sempre. Por isso a importância de darmos preferência a tecidos naturais, pois são compostáveis.
      Antes de descartar completamente, você pode fazer o downcycling deles. Transformar em algo de valor inferior, mas ainda sim, não é lixo.Você pode fazer cama para bichos de estimação, vários fuxicos e fazer porta pratos/panela, discos para tirar maquiagem (mostro isso no meu insta), roupinha para bichos de estimação e o que mais a imaginação te permitir. Veja o trabalho do Zero Waste Daniel. Depois de conhecer a marca dele, pra mim tudo é possível! Alguns tecidos não vão ter mais jeito mesmo e viram pano de chão. Outros, vão virar lixo, pois não temos reciclagem de tecido no Brasil. No caso de roupas íntimas, depende muito do modelo e do material. De agora em diante você pode escolher suas roupas já pensando no descarte rsrs. Em breve vou fazer uma série no insta sobre reutilização de calcinhas. Espero poder ajudar 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *