Ué, quarto gera lixo? Parte 3

7:30 am – Qual cor eu uso hoje?
8 am – tantas opções…
8:30 am – tic tac tica tac

 

Ritual matinal:

O despertador toca, mas ainda estou num sono profundo, relaxada e ignoro aquele barulho  irritante. Então vem a vontade de ir ao banheiro e eu penso “Que saco, tenho que levantar!”. Continuo na cama “Só mais 5 min, por favor!”. O despertador extrategicamente posicionado perto da porta e bem longe de mim continua tocando e eu… continuo ignorando. A minha bexiga aperta e uma imagem da minha cama toda suja de xixi me estimula a realmente sair da horizontal para a vertical. Desligo o despertador, caminho lentamente (tipo zumbi) até o banheiro e relaxo ao som de xiiiiiiiiiiii. Eu não quero lavar a mão, pois sei que há um espelho acima da pia e não quero me ver. Sinto meu rosto inchado, sei que não está legal… mas a ideia de não lavar a mão me faz lembrar minha mãe me perguntando “Lavou a mão, filha?”. Eu abro os olhos “Meu Deus! Horror!”. Preciso me arrumar e sair “Horror, horror”… escolho uma roupa “Menos horror”, hidrato a pele e passo blush, rímel e delineador “Tô gata!”.

A maquiagem realmente me faz sentir mais bonita. O que me incomoda é o fato de eu me sentir melhor de maquiagem do que sem. Me incomoda uma mão sem esmalte ser considerada menos bonita do que uma com esmalte e mega me incomoda muito eu ser considerada menos feminina ou como alguém que não se cuida, por não fazer uso de cosméticos.  Falando sério, qual homem é enfaticamente criticado por “não se cuidar”? Ele pode ter o cabelo que quiser, vestir o que quiser e vida que segue. Sem discurso feminista aqui, fiquem calmos (parece que hoje em dia, qualquer reivindicação feminina não é levada a sério e é considerada mimimi).  É só que a pressão da indústria da beleza sobre a mulher é massacrante. Olhem esse vídeo – The ugly truth behind beauty magazines link como um dos simples exemplos. O vídeo fala sobre o real conteúdo de uma revista feminina x quantidade de propaganda. Ou seja, ao invés de passar conteúdo, a leitora é bombardeada com imagens de roupas, maquiagens, pele/cabelo perfeitos. Quem aqui nunca viu uma foto dessas e pensou “Ai, quero muito essa base” ou ficou SUPER mal ao experimentar uma calça que não coube, ao invés de simplesmente pegar uma de tamanho maior ou outra modelagem? Chato, gente! Bem chato!

Mais chato ainda é um bando de empresa colocar um bando de coisa tóxica nesses produtos, poluir pra caramba e nem dar a opção de retornar as embalagens. O QUE EU VOU FAZER COM AQUELE TUBO DE RÍMEL VAZIO????? 

Resumindo: Antigamente tudo era natural e se usava extratos vegetais e minerais para as maquiagens. Com o desenvolvimento da tecnologia e de produtos sintéticos em laboratórios, as empresas de cosméticos enxergaram novas possibilidade de aumentar o lucro e criaram demanda. Ou seja, elas criaram cores, texturas e efeitos que basicamente só se consegue através de produtos artificiais, colocaram mais coisa dentro para aumentar a durabilidade e falaram “Olha o que nós temos e você precisa ter também!”. Pronto – preciso ter.

O QUE FAZER?

Para o consumo consciente de maquiagem, considero os seguintes pontos como os mais importantes:

– Fórmula: ingredientes naturais e sem tóxicos, para não poluir o meio ambiente durante a produção nem a nossa pele durante o uso contínuo ou na hora de lavar e sair tudo na água.

– Embalagem: de vidro, metal, bamboo ou madeira para a redução de plástico.

– Retorno das embalagens: nós não temos o que fazer com elas depois, o ideal é a empresa recolher e reciclar para diminuir a extração de matéria prima e utilização de energia.

– Informação no site: as marcas devem informar sobre TUDO no site (ingredientes, embalagens, descarte, iniciativas, certificação etc).

– Atendimento: disponibilidade que a marca tem de tirar dúvidas e escutar seu consumidor.

VAMOS À LISTA

 

Baims  link

Marca vegana, orgânica e natural. Seus ingredientes não são testados e nem derivam de animais. As embalagens têm redução de plástico (todos recicláveis), através de componentes de bamboo (compostável). O site é muito bom e informa detalhadamente sobre os ingredientes em português e certificados, mas não fala sobre as embalagens. A empresa tem projeto de refil.

Bioart Biocosméticos  link

A única marca (das industrializadas) vegana, orgânica e natural que tem refil (alguns produtos). O site não é tão preciso. Engloba todos os pontos de forma bem geral o que acaba causando desconfiança no consumidor. A marca tem selos de certificação, mas não aprofunda sobre eles. Falam sobre reutilização das embalagens (muito plástico), mas sinceramente, não tem muito como reutilizar um tubo de primer ou rímel.

Alva  link

Marca alemã orgânica e natural que vende no Brasil. Não testam em animais, mas não são veganos (somente algumas linhas). Tem um faq bem legal e detalhado sobre ingredientes. Tem selo de certificação, mas também não explicam o significado disso. Não tem refil, não falam das embalagens e nem de programa de recolhimento delas.

Dona Orgânica  link

Marca nascida na Alemanha e, pelo que entendi no site, hoje é brasileira. Os produtos naturais e orgânicos, com embalagens (lindas) de bambu e bem menos plástico acabam desvalorizados pelo site com muitas fotos e pouca informação. Não tem a composição dos ingredientes e nada sobre as embalagens, mas tem ótimas informações sobre os ingredientes das maquiagens sintéticas.

Carol Cronemberger  link

Chef Cosmetique, meu bem!!!! Segura esse luxo!!!!!! Até que enfim achei uma solução para mim!!! Marca independente que aceita retorno de embalagem (vidro e plástico) com refil. E melhor ainda, DEMONSTRA REAL PREOCUPAÇÃO não só com a pele dos clientes mas também com a geração de lixo para o mundo (aleluia!!!). Site com todas as informações necessárias, até dos fornecedores e CURSO DE MAQUIAGEM CASEIRA!!!! Porque eu tentei várias receitas em casa e (quase nenhuma) deu certo e fiquei frustradíssima de não ter nada apresentável para vocês.

Minha tentativa de rímel e delineador caseiros

ingredientes: cera de abelha, óleo de coco e carvão de amêndoas

Onde comprar: Pela internet, mas gera muito lixo (envio pelo correio com mais embalagens, mais plástico, fita crepe, adesivos, isopor etc), em lojas físicas de produtos naturais que revendem, nos ateliers e eventos (no caso das marcas independentes) ou com representantes como a Âme EcoStore link . A galera da Âme está presente em várias feiras veganas e de produtos naturais, entendem muito bem sobre os produtos que vendem e o site é bem completo! Procure os representantes na sua cidade 😉

OBS: As marcas (que eu achei) que têm programa de recolhimento e reciclagem de embalagens são a MAC link e Quem disse Berenice link (nenhuma delas natural). Logicamente que a estrutura delas é maior. Mas independente disso, a preocupação tem que ser a mesma.

Sobre as embalagens: Quando compramos um produto, ele passa a ser nosso. Precisamos do conteúdo e não do recipiente. Mas pagamos pelo recipiente também e, portanto, é de nossa responsabilidade o descarte. Ou seja, a empresa transfere a responsabilidade de um lixo para o consumidor. Na minha opinião, as empresas têm obrigação de se responsabilizar pelo recolhimento das embalagens,  uma vez que nós (pessoas físicas) não temos o que fazer com elas e acabam virando lixo desnecessariamente. No entanto somos nós consumidores que temos o poder de transformação nas mãos. Entrando em contato, enviando e-mail, ligando, colocando nas redes sociais e mostrando que nos importamos com essa questão e queremos mudanças!

Sobre nós, consumidores:  Questione-se, reflita, converse com profissionais. NÃO, você não vai estar sendo chato. É seu direito saber e escolher o que colocar na sua pele. E se alguém te chamar de chato, pode ficar tranquilo que não passa perto do que me chamam (huahauhau)!

Eu gosto de maquiagem, só não quero mais me sentir escrava disso, muito menos passar tóxicos ruins e ter um bando de embalagem vazia que não serve pra nada e vai parar no lixão! Eu fiz uma super limpa aqui em casa e separei o que eu REALMENTE uso (reduzi mais da metade). O que ficou de fora, doei para a Casa Nem link . Também entrei no site da EWG (falei disso no post do banheiro parte 2) e analisei os rótulos das maquiagens. Todas com média a partir de 5! (pra quem não lembra da EWG, vejam nesse link). Lição aprendida, nada mais de make encostada passando da validade, nada mais de sair comprando todas as promoções no free shop, nada mais de tóxicos e muito menos embalagem na vida (yeeeeeeeaaaahhhhhh!!!)

No próximo Post, vamos falar de corredor. E se você não tem um corredor (com armários e estantes) em casa, vai se impressionar com a capacidade acumulativa e poluidora desse semi-cômodo.

Talvez você também goste

1 comentário

  1. Ameiii as dicas!!!! Assim que as minhas maquiagens antigas forem acabando pretendo substitui-las por estas maravilhas!!! Obrigada por dividir as dicas com a gente 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *